Afinal, o pênis pode quebrar?

Embora não seja algo muito comum, o pênis pode sim quebrar. Não literalmente quebrar, já que o órgão não possui osso, mas a fratura é uma lesão possível e bastante dolorosa. O que acontece nesse tipo de lesão é a ruptura da túnica albugínea, uma capa grossa que envolve as estruturas internas do pênis (corpos cavernosos) e permite a ereção.

Como a lesão acontece?

Como a lesão acontece?
Entre 30% e 50% dos casos ocorram durante relações sexuais muito intensas

 

Estudos apontam que um entre cada 100 mil homens sofre esse tipo de traumatismo. Esse tipo de lesão por não ser muito comum – como dito acima – as vezes passa despercebida.

Estima-se que entre 30% e 50% dos casos ocorram durante relações sexuais muito intensas. O pênis quando está ereto é pouco flexível, ao contrário de quando está flácido, que pode ser entortado, virado e torcido. Nesse caso, durante a relação sexual e principalmente na posição que a mulher está por cima, a fratura acontece quando o pênis sai da cavidade vaginal e ao tentar penetrar novamente, se choca com o quadril da parceira, fazendo com que se dobre de maneira brusca e forçada.

Também existem casos em que a lesão acontece por causa de movimentos masturbatórios acelerados e bruscos em homens com problemas de ereção ou em jovens que se masturbam escondido com medo de serem flagrados.

Quando o pênis arrebenta, o homem pode até ouvir um estalo, como se fosse um osso partindo. Em pouco tempo, o pênis – e às vezes também o saco escrotal – fica roxo devido à hemorragia interna causada pelo rompimento da membrana. Depois de um ou dois dias, pode até ficar preto.

O que fazer?

O que fazer?
É recomendado procurar um médico imediatamente

 

No momento em que a lesão acontece, além do ruído característico, uma dor intensa, acompanhada por inchaço e deformidade do pênis, bem como a presença de um hematoma interno e externo. É comum também o pênis ficar dobrado na direção da área da fratura.

O primeiro passo nesse tipo de situação é colocar gelo na região e utilizar analgésicos e anti-inflamatórios. É recomendado procurar um médico imediatamente, já que a lesão pode ter mais complicações e a maioria dos pacientes acaba tendo de passar por uma cirurgia para consertar a ruptura na túnica albugínea.

Entre os riscos, estão deformidade permanente do pênis, curvaturas com a ereção, dor nas relações sexuais e até quadros de impotência.

Deixe seu cometário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *